Polícia Civil apreende adolescente que planejava realizar massacre em escola

0

Ele disse aos policiais que ainda não havia executado o massacre em sua escola porque não teve acesso à arma de fogo de repetição

A Polícia Civil de Pontalina (GO) apreendeu um adolescente de  17 anos, que planejava atacar uma escola no mesmo município.

Na manhã desta segunda-feira (18), foi cumprido ainda um mandado de busca e apreensão na residência do adolescente, onde foram apreendidos uma capa, uma máscara, desenhos, um coturno, um arco e flechas.

Foram apreendidas ainda uma arma de fogo e munições, que pertenciam ao pai do adolescente, que também foi autuado em flagrante.

O adolescente tinha planos de executar um massacre na escola onde estudava, conforme a investigação.

Para isso, convidou outro adolescente para ajudá-lo com o plano. Ele alegou ter sofrido bullying; disse que as pessoas vivem ‘num inferno’, e que, ao matá-las, ele as livraria desse sofrimento.

O adolescente confirmou que ainda não havia executado o massacre porque não teve acesso a uma arma de fogo de repetição, e que a última vez que pensou em executar o plano foi dias antes do Carnaval.

Ele explicou que a arma apreendida em sua residência, por não ser de repetição, não seria suficiente para seu objetivo.

Questionado se tinha medo da reprovação social por executar um plano dessa natureza, o adolescente alegou que não, pois se mataria logo em seguida à execução do massacre e que não sentiria remorso pelas mortes, pois também já estaria morto.

Durante sua oitiva, o adolescente afirmou que um massacre ideal é aquele que tem o maior número de vítimas e comparou o massacre de Suzano (SP) ao ocorrido em uma mesquita na Nova Zelândia, na última sexta.

Ele afirmou que o massacre da mesquita foi ideal por conta do grande número de vítimas.

Em suas redes sociais, o adolescente postou fotos e mensagens com apologia a fatos criminosos, como os massacres ocorridos na escola de Columbine (EUA) e Nova Zelândia.

O adolescente responderá a Auto de Investigação de Ato Infracional por apologia a crime e atos preparatórios de terrorismo.

O adolescente foi encaminhado para audiência de apresentação, que ocorreu na Fórum da Comarca de Pontalina, e em seguida recolhido em cela da Delegacia de Apuração a Atos Infracionais de Caldas Novas (GO), onde permanecerá internado provisoriamente, à disposição do Poder Judiciário.

Fonte e Imagem: Diário da Manhã


Compartilhar

Deixe uma resposta