China libera 5,4 mil litros de insumos para produção de vacina, diz Bolsonaro

0

O Instituto Butantan afirma que isso é suficiente para produzir 8,5 milhões de doses da CoronaVac. De acordo com o Ministério da Saúde, material deve chegar ao Brasil até o final da semana.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, na tarde desta segunda-feira (25), que a China liberou 5,4 mil litros de insumos para produção da CoronaVac, vacina contra o coronavírus que será produzida pelo Instituto Butantan com tecnologia da farmacêutica chinesa Sinovac. O anúncio foi feito por meio do perfil do Facebook do presidente. De acordo com o Ministério da Saúde, o material deve chegar ao Brasil até o final da semana. O Instituto Butantan afirma que isso é suficiente para produzir 8,5 milhões de doses da CoronaVac.

A informação também foi confirmada pelo embaixador chinês no Brasil, Yang Yanming. “A China está junto com o Brasil na luta contra a pandemia e continuará a ajudar o Brasil neste combate dentro do seu alcance. A união e a solidariedade são os caminhos corretos para vencer a pandemia”, afirmou o diplomata.

“A continuidade do recebimento dos insumos para a fabricação das vacinas pelo Butantan voltou à normalidade, graças à ação diplomática do Governo Federal com o governo chinês, por intermédio da Embaixada Chinesa no Brasil. Fica aqui o nosso agradecimento a todos que ajudaram nessa liberação”,  disse o ministro da Saúde Eduardo Pazuello em nota enviada à imprensa.

Segundo carta assinada pelo embaixador chinês e divulgada pelo governo, a quantidade se refere aos Ingredientes Farmacêuticos Ativos (IFAs), que tiveram a chegada atrasada no Brasil devido a um impasse com o governo chinês. O IFA é a matéria-prima que provoca a resposta imunológica no organismo das pessoas para que, quando o corpo entrar em contato com o vírus selvagem, o indivíduo não adoeça gravemente.

Na terça-feira passada (19), o diretor-presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, afirmou que esperava 5,4 mil litros de IFAs do governo chinês.

A importação dos IFAs é necessária para que as doses da CoronaVac possam ser produzidas pelo Butantan. Até agora, foram importadas 6 milhões de doses prontas da China, mas o contrato do instituto com o governo federal prevê a fabricação de 46 milhões de doses, com possibilidade de ampliar para 100 milhões.

Sobre os insumos esperados pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para a produção da vacina de Oxford/Astrazeneca em solo brasileiro, o governo afirma que as negociações estão avançadas. “O processo de liberação do insumo junto ao governo chinês está acelerado e deve ocorrer em breve”, diz a nota. Os Ingredientes Farmacêuticos Ativos (IFAs) desta vacina também são produzidos na China.

 Segundo havia anunciado o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), para amanhã está prevista reunião entre o governo do Estado e o embaixador chinês, Yang Wanming, a fim de definir a quantidade e o prazo para o envio de novas remessas de insumos para o imunizante.

O ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo afirmou que a negociação foi sem “qualquer condição extra-contratual”. “A atenção do Governo chinês no sentido de autorizar a exportação de insumos para as vacinas, sem qualquer condição extra-contratual, mostra o quanto é construtiva a nossa relação com a China”, afirmou.

Fonte/Foto: GaúchaZH

Compartilhar

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.